domingo, 26 de abril de 2009

DESCOBRIMENTO DO BRASIL E DIA DO ÍNDIO-2009

No dia 22 de abril de 2009 realizamos em nossa
Unidade Escolar as apresentações do
DESCOBRIMENTO DO BRASIL E DIA DO ÍNDIO
O trabalho das professoras
Milena Maia (Ed. Física) e Ivone Lemos camacho (2ªs séries)
valeu a pena!
Confiram os resultados.
NAS FOTOS ABAIXO TEMOS NOSSOS PEQUENOS LEITORES
eles estão nos trazendo informativos sobre nossos índios.














AGORA ACONTECE UM JOGRAL MUITO INTERESSANTE.

Uma das apresentações mais marcantes foi a
A LENDA DA MANDIOCA


Mani nasceu diferente de outras índias. Era branca como lírio. Era, também, a índia mais bonita que já existiu na terra.




Os índios todos gostavam dela, como de um ser sobrenatural, porque um espírito branco apareceu, em sonhos, ao cacique da tribo e lhe contou que Mani era um presente sagrado de Tupã.


Um dia, porém, sem se saber como, Mani adoeceu e morreu.



A tristeza na tribo foi geral e profunda. Os índios choraram muito e enterraram, Mani no jardim. Todos os dias iam ver-lhe a sepultura. E choravam tanto que as lágrimas molhavam a terra.


O tempo passou... veio a primavera.




Na cova de Mani nasceu uma planta desconhecida. A planta cresceu. Um dia os índios cavaram a terra e encontraram um tubérculo. Notaram que parecia com o corpo de Mani e acreditaram no milagre;


Comeram-no, certos de adquirirem assim vigor para as lutas. Mani existia ainda transformada em planta.




Mani era um presente sagrado de Tupã... e os índios cultivaram com carinho o corpo imortal de Mani, transformado em alimento e chamaram-lhe manioca. Mandioca é, pois, nome deturpado de manioca e significa: pão da terra ou carne de mani.

Esteve presente neste evento o
CORAL BENTA COSTA
cantando a música
Pindorama do selo Palavra Cantada
(Terra à vista!)
Pindorama, Pindorama
É o Brasil antes de Cabral
Pindorama, Pindorama
É tão longe de Portugal
Fica além, muito além
Do encontro do mar com o céu
Fica além, muito além
Dos domínios de Dom Manuel
Vera Cruz, Vera Cruz
Quem achou foi Portugal
Vera Cruz, Vera Cruz
Atrás do Monte Pascoal
Bem ali Cabral viu
Dia 22 de abril
Não só viu, descobriu
Toda a terra do Brasil
Pindorama, Pindorama
Mas os índios já estavam aqui
Pindorama, Pindorama
Já falavam tupi-tupi
Só depois, vêm vocês
Que falavam tupi-português
Só depois com vocês
Nossa vida mudou de uma vez
Pero Vaz, Pero Vaz
Disse em uma carta ao rei
Que num altar, sob a cruz
Rezou missa o nosso frei
Mas depois seu Cabral
Foi saindo devagar
Do país tropical
Para as Índias encontrar
Para as índias, para as índias
Mas as índias já estavam aqui
Avisamos: "olha as índias!"
Mas Cabral não entende tupi
Se mudou para o mar
Ver as índias em outro lugar
Deu chabu, deu azar
Muitas naus não puderam voltar
Mas, enfim, desconfio
Não foi nada ocasional
Que Cabral, num desvio
Viu a terra e disse: "Uau!"
Não foi nau, foi navio
Foi um plano imperial
Pra aportar seu navio
Num país monumental
Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do Brasil
E ainda quem me ouviu
Vou dizer, descobri
O Brasil tá inteirinho na voz
Quem quiser vai ouvir
Pindorama tá dentro de nós
Ao Álvares Cabral
Ao El Rei Dom Manuel
Ao índio do BrasilE ainda quem me ouviu
Vou dizer, vem ouvir
É um país muito sutil
Quem quiser descobrir
Só depois do ano 2000
Quer ver o vídeo original do selo Palavra Cantada "Pindorama"?
Segue vídeo:
OUTRA PÉROLA NESTE DIA , FOI A INTERPRETAÇÃO DE
OS INDIOZINHOS

Na foto acima temos os alunos do vespertino interpretando "Os Indiozinhos"
Segue video:




Na foto acima temos os alunos da 2ª matutino interpretando "Os Indiozinhos"














Abaixo, temos a lenda da mandioca novamente (agora em texto corrido) e logo abaixo as fotos dos alunos do vespertino interpretando-a.

A LENDA DA MANDIOCA

Mani nasceu diferente de outras índias. Era branca como lírio. Era, também, a índia mais bonita que já existiu na terra. Os índios todos gostavam dela, como de um ser sobrenatural, porque um espírito branco apareceu, em sonhos, ao cacique da tribo e lhe contou que Mani era um presente sagrado de Tupã. Um dia, porém, sem se saber como, Mani adoeceu e morreu. A tristeza na tribo foi geral e profunda. Os índios choraram muito e enterraram, Mani no jardim. Todos os dias iam ver-lhe a sepultura. E choravam tanto que as lágrimas molhavam a terra. O tempo passou... veio a primavera. Na cova de Mani nasceu uma planta desconhecida. A planta cresceu. Um dia os índios cavaram a terra e encontraram um tubérculo. Notaram que parecia com o corpo de Mani e acreditaram no milagre; comeram-no, certos de adquirirem assim vigor para as lutas. Mani existia ainda transformada em planta. Mani era um presente sagrado de Tupã... e os índios cultivaram com carinho o corpo imortal de Mani, transformado em alimento e chamaram-lhe manioca. Mandioca é, pois, nome deturpado de manioca e significa: pão da terra ou carne de mani. FONTE: http://www.icoaraci.com.br/lendas.htm














PARA FINALIZARMOS ESTA MOSTRA DE UM BELÍSSIMO TRABALHO,
TEMOS UMA FOTO DOS NOSSOS AUTORES E PROTAGONISTAS.





PARABÉNS A TODOS VOCÊS!
VOCÊS ENTENDERAM QUE SOMENTE COM UNIÃO E DEDICAÇÃO
ALCANÇAREMOS O SUCESSO!

2 comentários:

Anônimo disse...

PARA MIM FOI MUITO IMPORTANTE TRABALHAR COM AS CRIANÇAS SOBRE O DESCOBRIMENTO DO BRASIL E DIA DO INDIO. DEVEMOS MOSTRAR ÀS CRIANÇAS O VALOR QUE TEMOS DESDE O NOSSO DESCOBRIMENTO. QUE DEVEMOS DA VALOR A VIDA E AMAR A DEUS E A TODAS AS COISAS. A IMPORTÂNCIA DA NATUREZA E O MEIO AMBIENTE. HOJE SINTO-ME FELIZ COM O MEU TRABALHO QUE FAÇO, POIS TEMOS QUE VALORIZAR O NOSSO CONHECIMENTO E ACEITAR O QUE A VIDA NOS OFERECE. PROFESSORA IVONE

Sabrina disse...

ADOREiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...
muito as fotos só que deveria ter mais videos ..
mas esta tudu muito bom ótimo
eu já estudava no benta mas seria bom que tivesse esse acompanhamento
de pofessores nesta area
parabens
voces estao de mais
muitos bjs